sexta-feira, 19 de junho de 2015

Os direitos das mulheres como direitos humanos


Aqui podem encontrar um trabalho subordinado ao tema “Direitos das mulheres como direitos humanos” em que é explorada a seguinte questão-problema: “É legítimo que a distribuição de direitos e deveres entre homens e mulheres seja feita de forma igual?” e é fundamentada a posição em relação a este tema de três alunas a frequentar o décimo ano no ano letivo 2014/2015, de seus nomes, Maria João Silva, Mariana Maciel e Mariana Cardoso, as autoras do trabalho, o qual foi elaborado a pedido da professora Paula Santos, no âmbito da lecionação do último capítulo intitulado “Temas e problemas do mundo contemporâneo” dos conteúdos programáticos da disciplina de filosofia.

O trabalho destes alunos está disponível aqui...

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Ciberdúvidas - Ter dúvidas é saber (novamente acessível)

ciberduvidas.png
 
 


O Ciberdúvidas da Língua Portuguesa volta a estar acessível, com todas as suas rubricas ativas, incluindo o consultório, em novos servidores – os do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Sendo assim, à parte os anteriores e tradicionais endereços do Ciberdúvidas, que se mantêm (www.ciberduvidas.pt e www.ciberdúvidas.com), o alojamento em novo servidor, do ISCTE-IUL, acrescentou um terceiro: https://ciberduvidas.iscte-iul.pt

Voluntariado e as novas dinâmicas da Sociedade

video

   Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Filosofia do 10º ano e teve como objetivo aprofundar conhecimentos acerca da situação atual do mundo e das desigualdades existentes e do que é o voluntariado. Pretendemos também explorar as novas dinâmicas da sociedade.
    A Desigualdade social é o fenómeno em que ocorre a divisão entre pessoas no contexto de uma mesma sociedade, colocando alguns indivíduos em condições estruturalmente mais vantajosas do que outros. Atualmente a desigualdade social e económica cresce em todo o mundo.
    As desigualdades sociais e económicas que encontramos em todos os cantos do mundo foram originadas apenas pelo ser humano que assenta numa posição egoísta face a todos os outros. A fome e a pobreza, a criminalidade e a violência, guerras e conflitos civis, desemprego, acentuação de diferentes classes sociais, existência de pessoas que vivem nas ruas e jovens não frequentam as escolas e sem oportunidades tornam-se vulneráveis e marginais.
    A única forma de as atenuar e melhorar a vida dos seres humanos, que devem viver em situações de igualdade e ter direito a uma vida estável é tonarmo-nos voluntários. Só assim conseguimos ajudar os outros e esta ajuda torna-se mútua pois iremo-nos sentir felizes e realizados connosco próprios. 
    O voluntário é um indivíduo que de uma forma totalmente livre, desinteressada e responsável se compromete, de acordo com as suas aptidões e com o tempo que apresenta livre, a desenvolver ações de voluntariado em prol dos indivíduos, das famílias e da comunidade em que se insere (ou não), sendo uma relação de solidariedade gratuita.
    A sociedade apresenta assim inúmeros projetos, atividades e organizações que permitem prestar serviços aos outros de forma gratuita, estabelecendo assim as novas dinâmicas da sociedade que se tornam cada vez mais imprescindíveis e essenciais.
    Tanto a nível nacional como a nível internacional, são muitas as organizações governamentais ou não-governamentais que marcam a diferença. No entanto, é preciso aderir a estas iniciativas e consciencializarmo-nos de que temos a obrigação de ajudar os outros para alcançar uma vida mais justa e harmoniosa. 
    “A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana” já dizia Franz Kafka. Sejamos humanos e não deixemos que a história da humanidade se torne apenas numa simples história.


O trabalho destes alunos está disponível aqui...